segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Palavras duras em voz de veludo, e tudo muda... Adeus velho mundo




Uma rosa atravessou seu coração. O impacto foi tão forte, fazendo com que sangrasse todo o amor que ali dentro havia crescido por aquele anjo. A cada palavra, mesmo ditas cautelosamente, a rosa perfurou com seus espinhos o que de mais belo viveu! Sangrou o coração, sangrou a alma, que transbordou nas lágrimas!  Ilusão, só porque ele sabia olhar de um modo diferente, um modo como ninguem jamais olhara, o modo como ela queria ser olhada. Ela se enganou com o doce olhar angelical, esse tipo de olhar que tem o costume de nos prender e nos deixar hipnotizados com a energia trocada nesses momentos. E através destes pequenos detalhes, ela se deixou encantar, e passou a amar. Amar sua simplicidade, seu doce mistério, inclusive suas chatices! O frio toma conta do seu corpo naquele jardim sem vida! E é por isso que ela chora... para que as lágrimas levem a frustração e regue todo o jardim de esperança que um dia ela plantou, para que novas flores possam crescer. Que as cores voltem ao seu coração. Algumas pessoas se perguntam por que ela sofre tanto com o amor. E eu vos respondo: Porque ela é feita de sentimentos, ama demais, sente exageradamente. Insegura em outros aspectos, mas quando se trata de amar,se doa intensamente, e isso custa muito caro. E por mais que os ventos e as tempestades insistam em tirar-lhe as forças, quando menos se espera ela se ergue cada vez mais bela e firme, pronta para sua nova fase, para uma nova estação. Assim ela espera...

Tainan Silva


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011


Dizem que imaginário é coisa de criança... que bom!!! Podemos crescer em maturidade, mas nunca podemos deixar que se perca a sensibilidade da criança que existe em nós. Mesmo tendo me tornado uma mulher, a menina aqui ainda se faz presente, mais viva do que nunca! Cá com meus pensamentos, num misto de angústia e paz, coragem e medo, sorriso e lágrima, minha alma inquieta-se com essa rotina e ponho a música pra tocar, decido viajar pra países distantes.  Sinto uma necessidade enorme de correr, meu corpo está aqui parado, mas minha alma neste exato momento corre para o infinito. A natureza agora me presenteia com sua beleza incomparável, com o doce aroma das flores, o farfalhar das folhas das árvores, o canto dos pássaros, trazendo consequentemente a paz ao meu coração. O tédio do cotidiano maltrata a alma, privando-a da serenidade necessária para o dia-a-dia e de ver a beleza no simples. Por isso, não tenho vergonha de dizer que uso do meu lado imaginário pra recuperar minhas energias e a tranquilidade que mereço. Chame a isso de bobagem, eu chamo de presença divina em cada detalhe.

Tainan



"Por que há alguns meses atrás me queixei de que não estava conectado com a Energia Divina? Que bobagem! Sempre estamos, é a rotina que não nos permite reconhecer isto."

(Paulo Coelho - O Aleph)


segunda-feira, 7 de novembro de 2011





Não adianta dizer que um olhar vale mil palavras, que o silêncio diz tudo. Não, não e não. Eu quero sentir, tocar, cheirar, provar, morder e ouvir. Ler. Então, por favor, Diga. Qualquer coisa que seja, qualquer frase, qualquer palavra perdida, fale. Ou escreva. Mas por favor, eternize. Palavras foram criadas para fotografar o coração, então por favor, não poupe o mundo da sua essência. Palavras são simples. Precisas. Lindas em sua pureza de ser dita. Não precisa fazer pose. Deixe acontecer. Se a garganta der nó e a sílaba não sair, escreva. Caneta e lápis na mão, seja. Mostre-se. Eu não me apaixono por pessoas. Eu me apaixono por frases. Me alimento de palavras. Verdades, incertezas, medos, doçuras e pequenas mentiras. Não importa. Eu quero provar seus verbos. Seus sujeitos. Seus objetos. Eu quero te ler. Te sublinhar. Te copiar. Te re-ler. Então, por favor, escreva-se. Inscreva-se. O que me encanta no mundo são letras, vogais, combinações inexatas entre o que quer dizer e o que se diz. Não precisa dizer bonito. Muito menos escrever bonito. Palavra vira poesia quando dita com a alma. Por isso, solte-se. Rabisque-se. Eu não vou analisar suas palavras. Eu vou apenas senti-las… Sentir você em cada letra escrita, em cada ponto, em cada frase desenhada. Por isso, permita-me. Eu não quero gramática, dicionário, frases de efeito, plágios descarados pra preencher vazio. Eu quero você. Você e suas palavras. Você e sua letra torta. Em qualquer frase, qualquer rima, qualquer asterisco no pé da página. Mas que seja você. Que brote do silêncio da sua alma bonita e se transforme em letras: palavras para eternizar a poesia que é seu coração!” - 

Fernanda Mello

quinta-feira, 3 de novembro de 2011


·        

       
 Por isso, eu te peço. Me provoque. Me beije a boca. Me desafie.  Me tire do sério. Me tire do tédio. Vire meu mundo do avesso. 

  (Clarice Lispector)





"Era uma vez um mundo que tinha um lago azul e era rodeado de montanhas vermelhas, nele viviam fadas, duendes e vários outros seres especiais. Neste lugar chamado Imaginário, não havia uma só pessoa que não acreditasse em seu sonho e nem uma única pessoa que desprezasse o sonho alheio. Esse lugar era feito de pessoas nobres, pois ao acreditar no seu sonho e apoiar o do outro, nós podemos com certeza ter um mundo mais azul.  

Feche os olhos e enxergue o mundo imaginário que vive dentro do seu coração e perceba como a felicidade entra por uma fresta e enche o seu dia de paz. Pois é aí o mundo imaginário, onde fadas e duendes e outros seres especiais transitam alegremente.  Em um delírio de bruxas boas eles invadem a sensibilidade e transformam caminhos, tornando-os divino para sempre."



Denise Portes

sábado, 29 de outubro de 2011

Bela Flor




"Qual gosto está entre teus lábios?
Nem a mais doce das romãs acalmaria meus desejos quando anseio por teus beijos! De carmim é a cor que tinge teus lábios, e da mais pura seda a pele que reveste-os. És, pois, fonte de meus delírios...
Qual o cheiro de tua pele?
As flores de cerejeiras não se assemelham ao perfume que exalas. Que aroma ser este que te circunda? Nem mesmo o cedro com sua força, o sândalo com sua essência mística e a rosa com sua suavidade se comparam ao divino cheiro que tens. És, pois, fonte dos meus delírios...
E os teus olhos?
Ora, que belos olhos tens, e quão expressivos são! Encantas e seduz. Rubis não refletem tanta beleza quando comparo teus olhos, e as turmalinas negras com seu poder de proteção não me oferecem segurança como o fazem os teus olhos. Eles, os teus olhos, são portais que levam ao mistério do sagrado, pois penetrá-los é reverenciar o dom da vida. És, pois, fonte dos meus delírios...
E tua alma?
As águas do Lago Vostok não são tão límpidas e puras como a beleza que reflete tua alma. Ela esconde tesouros mais caro que o ouro. Tolice pensar que exista sensação mais prazerosa que unir-me à tua alma. Tolice crê que fora de ti possa verter felicidade, pois tu és por inteiro fonte dos meus delírios...
Amando... a forma mais perfeita de existir..."


Diêgo Santana

domingo, 23 de outubro de 2011





Bob Marley sobre como amar uma mulher: “Você pode não ser o primeiro homem dela, o último homem dela ou o único homem dela. Ela amou antes, pode ser que ela ame de novo. Mas se ela te ama agora, o que mais importa? Ela não é perfeita - você também não é, e vocês dois podem nunca ser perfeitos juntos, mas se ela te faz rir, te faz pensar duas vezes, e admite ser humana e cometer erros, segure-se a ela e dê a ela o máximo que você puder. Ela pode não estar pensando em você a cada segundo do dia, mas ela te dará uma parte dela que ela sabe que você pode quebrar - o coração dela. Então não machuque ela, não mude ela, não analise e não espere mais do que ela pode dar. Sorria quando ela te fizer feliz, diga a ela quando ela te deixar com raiva, e sinta a falta dela quando ela não estiver por perto.”

Bob Marley



Do I need to say more something??? 

quinta-feira, 20 de outubro de 2011









A moça está encolhida ali quietinha no momento em que ela batizou de "casulo", se contorcendo com o aperto lá dentro, descabelada, olhos lavados pelo cansaço da alma. Vive entrando e saindo do casulo, ela acredita que cada cura da alma é como se fosse o vôo de cada nova borboleta. Está escuro, as notas suavizadas no piano tocando ao longe parecem amenizar sua luta com a própria dor... Apesar disso, ela sabe que precisa, sabe que sua teimosia e impaciência a leva muitas vezes a se encontrar no seu processo de amadurecimento um tanto doloroso, o crescer é lento e trabalhoso. Uma confusão de sentimentos se faz presente... angústia, medo, amor, desesperança, brigam até fazer sangrar. O amor, que chegou primeiro, luta pra expulsar os outros que quiseram roubar sua essência. A bailarina ora grita pra que essa bagunça cesse, ora observa silenciosamente e, lá dentro, tentando se manter um pouco afastada de toda a desordem, pede a Deus que lhe traga a paz que ela tanto necessita. E assim, mal percebe ela que lentamente saiu do seu lugar deixando se levar pela calma melodia. A magia do momento ameniza as revoltas interiores e os excessos, dando lugar ao amor... "Que só ele permaneça", pensa ela, trazendo na sua essência a alegria, a tranquilidade, a paciência, a fé e a esperança quase perdida... e enfim, ela poderá sair da solidão necessária, abrir suas asas e gozar de sua doce liberdade. E lá está, a natureza transbordando beleza, e pronta para receber sua mais nova integrante.


Tainan

terça-feira, 18 de outubro de 2011



"Eu queria saber o que escrever enquanto você se ocupa com a vida que pede tua presença e nem desconfia das minhas vontades. Eu queria saber o que dizer a você que transbordasse carinho e gratidão; saber dizer alguma coisa e qualquer coisa que pudesse te acolher e te embalar, e que esse querer pudesse olhar nos teus olhos com sorriso de fazer o céu mais azul. Eu queria saber você, saber mais perto, pra poder me fazer todo presença, com tudo o que sou, fazer poesia com a boca, fazer silêncio com os olhos e com as mãos dizer qualquer coisa de cafuné. Saber você sorrindo, tomando café-da-manhã comigo, conversando sobre qualquer coisa que seja bom pra nós. Eu queria ser promessa, ser canção, paixão, mel, biscoito, tinta, papel. Ser todo entregue à tua vida seria o único jeito em que poderia agradecer. Queria ser qualquer palavra que se ache no dicionário de bom e bonito que pudesse combinar com teu nome. Apesar dos pesares e da distância, das saudades, tristezas e do desânimo que às vezes se assomam e nos assombram como se pudessem ser hóspedes da nossa casa, queria dizer que você pode descansar em mim e se acolher; e se derramar; que serei ouvido, olhos, colo, paisagem, cheirinho, massagem e que também quero envolver você em bolinhas azuis de tranquilidade. Eu queria saber confessar minha história, minhas doçuras e amargos, enlaçar você pra mais perto e não te fazer correr nem se assustar com espinhos de flor que só querem perfumar. Porque eu quero te fazer mais leve, mais suave, mais plena; levar teu coração pra passear, segurar tuas mãos, fazer graça e sonhar acordado, fazendo você respirar macio. Eu queria ser mais do que sou, porque contigo ser menos não dá. E você me merece por inteiro. Porque nós merecemos o inteiro. Eu queria poder contar aquilo que sua Alma bem conhece mas que por hoje esqueceu; contar aquilo que não cabe no poema mas que se lê nas conchas do mar, nas cestas de flores, na cadeira de balanço, no perdão e no abraço. Qualquer coisa que te fizesse entender o meu Amor."

Guilherme Antunes


"Eu tenho mil razões para te abandonar, e mesmo assim eu procuro por aquela única razão que me faz lutar por você.”




(Shakespeare)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Ah eu queroo!





"Quero tudo novo de novo.
Quero não sentir medo.
Quero me entregar mais, me jogar mais, amar mais.



Viajar até cansar.
Quero sair pelo mundo.
Quero fins de semana de praia.
Aproveitar os amigos e abraçá-los mais.
 Quero ver mais filmes e comer mais pipoca, ler mais. Sair mais.
Quero um trabalho novo. Quero não me atrasar tanto, nem me preocupar tanto.
Quero morar sozinha, quero ter momentos de paz.
Quero dançar mais. Comer mais brigadeiro de panela, acordar mais cedo e economizar mais.
Sorrir mais, chorar menos e ajudar mais. Pensar mais e pensar menos.
Andar mais de bicicleta. Ir mais vezes ao parque.
 Quero ser feliz, quero sossego, quero outra tatuagem.
Quero me olhar mais. Cortar mais os cabelos.
 Tomar mais sol e mais banho de chuva.
Preciso me concentrar mais, delirar mais.



Não quero esperar mais,
quero fazer mais, suar mais, cantar mais e mais.
Quero conhecer mais pessoas.
 Quero olhar para frente e só o necessário para trás.
Quero olhar nos olhos do que fez sofrer e sorrir e abraçar, sem mágoa.
 Quero pedir menos desculpas, sentir menos culpa.
Quero mais chão, pouco vão e mais bolinhas de sabão.
Quero aceitar menos, indagar mais, ousar mais.
Experimentar mais. Quero menos “mas”.
Quero não sentir tanta saudade. Quero mais e tudo o mais. "



“E o resto que venha se vier, ou tiver que vir, ou não venha".





Fernando Pessoa





“Venha, antes que seja tarde demais.


Corro perigo como toda pessoa que vive.


E... a única coisa que me espera é exatamente o inesperado.”



Clarice Lispector

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

E que a certeza não escorregue...





"Se água nos olhos do palhaço molha
Menina dos olhos abandonada


Boneca de pano, de pena, chora.. quando
Água nos olhos da gente escorre

Corre beirando boca, ribeirão
Dorme junto ao coração
Faz do peito cachoeira

Leva, lavando, me deixando leve
Que a certeza não escorregue
Feito pedra de sabão


Bola, vidro, janela, bronca, tapa
Dias e dias sem televisão
Fecho porta pra não escutar briga
E, também, pra briga não escutar minha canção


Que faço distraindo a vida
Vou traindo minha sina
Distraindo decisão
Falo coisas que as vezes não faço
Sou boneca, sou palhaço, ponto de interrogação


Todo ser seria
Todo rio riria
Toda flor folia
Abajour pra escuridão


Toda brincadeira começa com alegria
Mas o sino do almoço troca o riso por feijão


Quero mais careta no retrato
Quero mais folia no meu quarto"



quarta-feira, 5 de outubro de 2011



"Eu me sinto sozinha no meu processo de criar, de fantasiar em versos sentimentos tão profundos. Essa sensibilidade que me rasga a alma, que me acalma em poesia, em letras que desenham a minha estrada, Que explode o que não quer calar em prantos de um coração que só quer entender o que acontece em volta, do lado, à distância. Esse sentir banhado em luzes de uma história inventada e outra tão real que essa solidão desacompanhada, que bebe em risadas o cotidiano."

Denise Portes

terça-feira, 4 de outubro de 2011




Uma nuvem se formou e gotas começaram a cair. Esta chuva são as lágrimas qua agora escorrem do meu rosto e vão direto regar as flores que brotaram em meu coração na primavera. O aperto grande aqui dentro é a ansiedade e o medo que ocuparam espaço. Acho que talvez seja pra isso que serve a água que cai agora, pra lavar a alma e retirar o que é desnecessário nesse jardim!

(Tainan Silva)


"O que é preciso é desaprender o medo." (Ana Jácomo)

sexta-feira, 30 de setembro de 2011


"Hoje eu sou assim, estranha e engraçada. Falo besteira o dia todo, faço todo mundo rir, imito os outros, uso roupas estranhas, tenho estranhas constatações a respeito da vida. Faço caretas ridículas, posso deixar de ser fina num segundo......Mas de verdade eu só queria que alguém falasse para mim: ei, você é bonita, para de se expor tanto, pode ficar quietinha, pode parar com esse riso nervoso, tô reparando em você, você é bonita."


Tati Bernardi

quinta-feira, 29 de setembro de 2011





"Todas nós carregamos um lado menina e uma porção mulher. É uma pitada de doce no sabor da pimenta. É um pouco de brisa em meio a um furacão. Temos o dom de acalmar e agitar na mesma proporção. "

  Do blog: Amar faz bem

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

“Eu sou uma eterna apaixonada por palavras. Música. E pessoas inteiras. Não me importa seu sobrenome, onde você nasceu, quanto carrega no bolso. Pessoas vazias são chatas e me dão sono. Gosto de quem mete a cara, arrisca o verso, desafia a vida… Eu sou criança. E vou crescer assim. Gosto de abraçar apertado, sentir alegria inteira, inventar mundos, inventar amores. O simples me faz rir, o complicado(às vezes) me aborrece.”



Fernanda Mello


"É difícil esperar por algo que pode não acontecer, mas ainda é mais difícil desistir quando você sabe que é tudo que você quer."

(Desconhecido)



"Quando o céu se cobriu de vermelho
Comecei a te esperar
Quando o céu se cobriu de azul
Pude ouvir teu respirar
E ao se cobrir de frio
Bem-te-vi cantando
Bem me viu tentando não chorar

Dias iguais
Azuis, vermelhos, frios
Dias sem paz
De espera

Dias iguais
São como um rio
Correndo pra trás
Não deságua em nenhum lugar."


Dias iguais - Sandy Leah




"Tentativas vãs de descrever
O que me calou
Me roubou palavras
E chão e ar
Me roubou de mim"
Perdida e salva - Sandy Leah


Não sou boa com números. Com frases-feitas. E com morais de história. Gosto do que me tira o fôlego. Venero o improvável. Almejo o quase impossível. Meu coração é livre, mesmo amando tanto. Tenho um ritmo que me complica. Uma vontade que não passa. Uma palavra que nunca dorme. Quer um bom desafio? Experimente gostar de mim. Não sou fácil. Não coleciono inimigos. Quase nunca estou pra ninguém. Mudo de humor conforme a lua. Me irrito fácil. Me desinteresso à toa. Tenho o desassossego dentro da bolsa. E um par de asas que nunca deixo. Às vezes, quando é tarde da noite, eu viajo. E - sem saber - busco respostas que não encontro aqui. Ontem, eu perdi um sonho. E acordei chorando, logo eu que adoro sorrir... Mas não tem nada, não. Bonito mesmo é essa coisa da vida: um dia, quando menos se espera, a gente se supera. E chega mais perto de ser quem - na verdade - a gente é.

Fernanda Mello


domingo, 25 de setembro de 2011





SOU ORDEM E CAOS, 
SOU UM SÁBIO UM LOUCO,UM GÊNIO, UM TOLO.
SOU UM ONTEM E UM HOJE ,UMA CRIANÇA, UM IDOSO
SOU O BRANCO E O PRETO, O DEVER E O DIREITO
SOU O AMARGO E O DOCE,O PERFEITO E O IMPERFEITO
SOU O RISO E O CHORO,O PESAR E O CONSOLO
SOU A DÚVIDA E A CERTEZA,O TITUBEAR E A FIRMEZA
SOU O AMOR E O ÓDIO,O POSSO E O NÃO POSSO
SOU ISSO E AQUILO, O MALEÁVEL E O FIRME
SOU A CHUVA E O VENTO,A ÁRVORE E A SEMENTE
SOU A TERRA E O CÉU,A ALMA E O CORPO
SOU O CERTO E O ERRADO O PERDÃO E O PECADO
SOU O NASCER E O MORRER
SOU TUDO QUE POSSO SER,MENOS O QUE ME COMPLETA,
E ESSA PARTE INEXA COM CERTEZA É VOCÊ!

NILTON OLIVEIRA

quinta-feira, 22 de setembro de 2011


Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero doces, quero música, vento, cheiros, quero parar de me doar e começar a receber. Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências. Eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou, e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar.

Caio Fernando Abreu.

Você me bagunça e tumultua tudo em mim...




...Assimila, dissimula, afronta, apronta,descarrega-me nos abraços

Lapida minha pedra bruta, insulta, assalta-me os textos, os traços
E desapropria o rumo, o prumo, juro me padeço com você
Me desassossega, rega à alma, roga a calma em minha travessia
Outro porque.


(O Teatro Mágico)

segunda-feira, 19 de setembro de 2011


"Ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso porque já chorei demais. Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe e só levo a certeza de que muito pouco eu sei, ou nada sei."

Almir Sater

"Sou dessa leva de gente que tem como sina ver demais. Sentir demais. Amar quase do tamanho do amor. Traço de nascença, uma estranha dádiva que, durante temporadas, pra facilitar a própria vida, egoísmo que seja, a gente tenta disfarçar de tudo que é maneira que aprende. Mas não tem jeito, nunca terá, nascer assim é irremediável, o que é preciso é desaprender o medo. Por tudo o que é mais sagrado nesse mundo e em quaisquer outros que não tenho certeza se existem, mas suspeito, muitas vezes eu desejei não ver tanto. Criança, quando senti isso sem saber palavras, inventei minha miopia. Não adiantou: o encurtamento dos olhos é só do lado de fora, por dentro eu vejo muito comprido. Alguns sentem vida, sentem beleza, sentem amor, com doses de conta-gotas. Eu, não: é uma chuvarada dentro de mim.Que os sensíveis sejam também protegidos. Que sejam protegidos todos os que veem muito além das aparências. Todos os que ouvem bem pra lá de qualquer palavra. Todos os que bordam maciez no tecido áspero do cotidiano". 

Ana Jácomo

sábado, 17 de setembro de 2011


"Sou uma filha da natureza, quero pegar, sentir, tocar, ser. E tudo isso já faz parte de um todo,de um mistério. Sou uma só... sou um só ser. E deixo que você seja. Isso lhe assusta?Creio que sim. Mas vale a pena. Mesmo que doa. Dói só no começo."


 (Clarice Lispector)

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Infinito Particular




Sob o olhar limitado dos seres que se restringem a sonhar por medo de sofrer, minhas idéias não passam de meras fantasias. Apenas uma alma lunática como a minha compreende perfeitamente o sentido de meus “refúgios”. Apenas alguém que também não tem medo de criar cenários, personagens, para ter um instante de paz mental. Neles eu encontro música, natureza, e tudo o que há de mais simples, e eu posso ser o que eu quiser, dançarina, fada, princesa, borboleta, flor, menina e mulher. Não me importa os sorrisos sarcásticos, tolos são os que perdem a essência da infância para parecerem normais. Cada um tem sua forma particular de lidar com seus tormentos, e a minha é me recolher em algum canto,com música ao som de piano e violinos, fechar os olhos e mergulhar no meu infinito particular. Não se dá a isso um significado meio que superficial como a fuga de problemas, da realidade. Vai além disso, é uma forma de Deus nos atrair a descansar Nele e assim, retornar, encarar as dificuldades e lutar pelos meus sonhos com serenidade. Particularmente encontrei nos meus cenários mais que um refúgio, encontrei a paz que muitas vezes deixo perder em dias escuros. 

Tainan Silva

terça-feira, 6 de setembro de 2011

segunda-feira, 5 de setembro de 2011


E que as minhas loucuras sejam perdoadas, pois metade de mim é amor... e a outra metade, também!!! 
(Oswaldo Montenegro)







A moça está encolhida ali quietinha no momento em que ela batizou de "casulo", se contorcendo com o aperto lá dentro, descabelada, olhos lavados pelo cansaço da alma. Vive entrando e saindo do casulo, ela acredita que cada cura da alma é como se fosse o vôo de cada nova borboleta. Está escuro, enquanto ela espera por algum raio de sol, as notas suavizadas no piano tocando ao longe parecem amenizar sua luta com a própria dor... Apesar disso, ela sabe que precisa, sabe que sua teimosia e impaciência a leva muitas vezes a se encontrar no seu processo de amadurecimento um tanto doloroso, o crescer é lento e trabalhoso. Uma confusão de sentimentos se faz presente... angústia, medo, amor, desesperança, brigam até fazer sangrar. O amor, que chegou primeiro, luta pra expulsar os outros que quiseram roubar sua essência. A bailarina ora grita pra que essa bagunça cesse, ora observa silenciosamente e, lá dentro, tentando se manter um pouco afastada de toda a desordem, pede a Deus que lhe traga a paz que ela tanto necessita. E assim, mal percebe ela que lentamente saiu do seu lugar deixando se levar pela calma melodia. A magia do momento ameniza as revoltas interiores e os excessos, dando lugar ao amor... "Que só ele permaneça", pensa ela, trazendo na sua essência a alegria, a tranquilidade, a paciência, a esperança quase perdida... e enfim, ela poderá sair do isolamento necessário, abrir suas asas e gozar de sua doce liberdade.

Tainan Silva


"Viva a tua maneira, não perca a estribeira, saiba do teu valor. E amanheça brilhando mais que a estrela do norte que a noite entregou. "


( O Teatro Mágico)

quinta-feira, 1 de setembro de 2011



"Por fim, imite a lagarta, quebre as algemas do Mal, este casulo empobrecedor, para se tornar uma borboleta azul e bela planando por sobre as flores à procura do néctar para sua sobrevivência. E onde você estiver, em que condições sociais sua família viver, o maná divino estará disponível para te alimentar e sustentar na jornada."

Eu quero ser capaz criar primavera em minha alma depois de qualquer tempestade, para as borboletas azuis pousarem no meu jardim.

Denise Portes





p.s.: Denise leu minha alma!

Que venha setembro fechando o inverno e abraçando a primavera, depois das tempestades. O céu levando o vento e trazendo as borboletas azuis, as margaridas brancas, as flores que enfeitam os caminhos das ruas, dos parques e das estradas. Que venha setembro em pétalas que colorem o chão e que enche meu coração de esperança. Uma estação que me lembra que a vida recomeça sempre, que as flores enfeitam os dias e que a brisa fresca acalma a alma. Que venha setembro em poesias iluminar o colorido e o brilho de nossos dias.



(Denise Portes)


Enfim, setembro chegou e trazendo com ele o típico cheiro primaveril... e posso dizer que sobrevivi ao inverno!  A primavera não apenas acontece na terra, mas no mais profundo do meu coração e da minha alma. Que venham as flores com suas cores e delicadezas, enfeitar este mundo que muitas vezes se torna escuro porque o inverno na alma das pessoas insiste em fazer morada. Que elas venham lembrar a humanidade que depois das tempestades, o colorido se refaz num brilho de sol. 
(Tainan)
Simplesmente perfeitos!!!




Amanhã...Será?"  (O Teatro Mágico)

(Daniel Santiago / Fernando Anitelli / Gustavo Anitelli)

Se aliança dissipar
e sentença for só desamor!
a tormenta aumentará!
Quando uma comunidade viva!
Insurrece o valor da Paz,
endurecendo ternamente!
todo biit, byte ,e tera
será força bruta a navegar!
será nossa herança em terra!
amanhecerá! 
de novo em nós!
amanhã, será?
o "post" é voz que vos libertará!
descendentes tantos insurgirão
A arma, o réu, o véu que cairá!
Cravos e Tulipas bombardeiam
um jardim novo se levantará!
O Jasmim urge do solo sem medo
O sol reclama no Oriente!
Brada a lua que ilumina!
rebelando orações e mentes!
amanhecerá! 
de novo em nós!
amanhã, será?

segunda-feira, 22 de agosto de 2011


Seja o tipo de mulher que, quando seus pés tocam o chão a cada manhã, o diabo fala:
"Oh, droga, ela acordou."

(Desconhecido)

"Estou tirando férias de mim. Férias das dúvidas que me derrubam, das ilusões que me levantam, porque tudo isso é muito temporário. E viver assim de pouquinho, sem nenhuma fixação, às vezes cansa. Esperar cada novo dia, cada novo olhar pra saber se posso ser feliz, não me faz feliz de verdade. Um sorriso e o balanço do dia é positivo, posso dormir à noite. Um cumprimento não correspondido e acho que tudo está errado. Mas se eu fico tão bem quando não dependo de opiniões, ações, gestos, por que insito em deitar nos braços do mundo e me deixar abater?

Não existe ninguém que pode me fazer mais feliz hoje e ter essa consciência muda o humor, muda a disposição, muda as vontades. Sabe o que é? As pessoas não me fazem bem, minha idealização delas me engana por um tempo, mas saio fatalmente mal das relações que eu invento. Então por que não me curtir um pouco - me sentir mais leve, mais bonita, mais interessante, já que o fantasma da obrigação de agradar não está me seguindo? Essa é uma daquelas fases de sorrir e não querer saber o motivo, de férias mesmo. De tudo que eu me cobro todos os outros dias do ano, depois me cobro por não ter tempo de cumprir."
(Verônica Heiss)



quinta-feira, 18 de agosto de 2011




Ah!!! Essa música merecia ficar na página principal!!! A mais linda!!!




"Nós tínhamos uma coisa que chamo de 'identificazzione di una donna'. Era uma aproximação de alma que rolava comigo, com você (...) pessoas sensíveis, que têm uma alma parecida. As coisas que a gente escolhia para enxergar nesse mundo eram parecidas. Apontávamos para os mesmos lugares (...)"


                      (Caio Fernando Abreu)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...