segunda-feira, 22 de agosto de 2011


Seja o tipo de mulher que, quando seus pés tocam o chão a cada manhã, o diabo fala:
"Oh, droga, ela acordou."

(Desconhecido)

"Estou tirando férias de mim. Férias das dúvidas que me derrubam, das ilusões que me levantam, porque tudo isso é muito temporário. E viver assim de pouquinho, sem nenhuma fixação, às vezes cansa. Esperar cada novo dia, cada novo olhar pra saber se posso ser feliz, não me faz feliz de verdade. Um sorriso e o balanço do dia é positivo, posso dormir à noite. Um cumprimento não correspondido e acho que tudo está errado. Mas se eu fico tão bem quando não dependo de opiniões, ações, gestos, por que insito em deitar nos braços do mundo e me deixar abater?

Não existe ninguém que pode me fazer mais feliz hoje e ter essa consciência muda o humor, muda a disposição, muda as vontades. Sabe o que é? As pessoas não me fazem bem, minha idealização delas me engana por um tempo, mas saio fatalmente mal das relações que eu invento. Então por que não me curtir um pouco - me sentir mais leve, mais bonita, mais interessante, já que o fantasma da obrigação de agradar não está me seguindo? Essa é uma daquelas fases de sorrir e não querer saber o motivo, de férias mesmo. De tudo que eu me cobro todos os outros dias do ano, depois me cobro por não ter tempo de cumprir."
(Verônica Heiss)



quinta-feira, 18 de agosto de 2011




Ah!!! Essa música merecia ficar na página principal!!! A mais linda!!!




"Nós tínhamos uma coisa que chamo de 'identificazzione di una donna'. Era uma aproximação de alma que rolava comigo, com você (...) pessoas sensíveis, que têm uma alma parecida. As coisas que a gente escolhia para enxergar nesse mundo eram parecidas. Apontávamos para os mesmos lugares (...)"


                      (Caio Fernando Abreu)







Noite e madrugada de lua cheia, ela vem poderosa iluminando o mar, rasgando meu coração em versos e enfeitando meu olhar em poesia. É um pulsar de esperança, um sopro de fantasia colorindo meus passos, essa lua de olhar prateado, que mobiliza meu caminhar.

(Denise Portes)





"Eu gosto do estranho, do incomum. Gosto daquilo que confunde, que permite diferentes interpretações, que fica nas entrelinhas."

(Martha Medeiros)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011






Pode ser um outro dia qualquer
desde que não seja hoje...
Me recolho em algum canto
onde tudo que quero
é beber um pouco de solidão
onde posso ficar de pijama
passar o dia na cama
esperando entardecer
vir um novo sol
que possa me alcançar
e então venha,
mas agora não,
porque estou em mim
-lá dentro, caçando -
me perdendo
e me encontrando...
aos poucos me preparando
para que você possa vir.


Cáh Morandi



"Sou pessoa de dentro pra fora. Minha beleza está na minha essência e no meu caráter. Acredito em sonhos, não em utopia. Mas quando sonho, sonho alto. Estou aqui é pra viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente.
Sou isso hoje...
Amanhã, já me reinventei.
Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim.
Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina... E vice-versa. Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar...
Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos. Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa. Sou pessoa de riso fácil...e choro também!"

  


(Tati Bernardi)

"A arquitetura da minha alma é barroca. Sou fraca, sou forte,
sou luz e sou sombra. Sou de aço, sou de flores. "

(Pe. Fábio de Melo - Mulheres de aço e de flores)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011


Odeio aquela velha sensação de que tô perdida e sozinha nesse mundo, às vezes eu me sinto oca. Essa lágrima que reluta em se guardar nas profundezas do meu olhar, quando uma palavra ou indiferença me atingem, essa bipolaridade que não me define como realmente estou, ou talvez ela até me rotule como imprevisível. Não! Ainda assim, ela me torna uma incógnita! Tô cansada dessa tristeza profunda de não sei o quê, destes gritos ensurdecedores do meu coração. Gritam o medo que se faz presente, gritam as vontades repentinas de sumir. Gritam os fracassos das tentativas e os sucessos das não-tentativas. Ainda assim, hoje permito que por alguns instantes essa personalidade passeie por aqui, na condição de que amanhã ela faça suas malas e vá para bem longe. Hoje permito-me ser humana, permito-me chorar sem ter motivos convincentes e não ser "perfeita" e  forte o tempo todo. Permito-me "sumir" para os meus aposentos secretos porque eu estou exausta, e sou metade flor, metade aço! Enfim, permito-me ser apenas uma mulher que, além de todas as outras coisas, enfrenta mensalmente (porém nem sempre consegue vencê-la) a TPM.

Tainan Silva
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...