sábado, 29 de outubro de 2011

Bela Flor




"Qual gosto está entre teus lábios?
Nem a mais doce das romãs acalmaria meus desejos quando anseio por teus beijos! De carmim é a cor que tinge teus lábios, e da mais pura seda a pele que reveste-os. És, pois, fonte de meus delírios...
Qual o cheiro de tua pele?
As flores de cerejeiras não se assemelham ao perfume que exalas. Que aroma ser este que te circunda? Nem mesmo o cedro com sua força, o sândalo com sua essência mística e a rosa com sua suavidade se comparam ao divino cheiro que tens. És, pois, fonte dos meus delírios...
E os teus olhos?
Ora, que belos olhos tens, e quão expressivos são! Encantas e seduz. Rubis não refletem tanta beleza quando comparo teus olhos, e as turmalinas negras com seu poder de proteção não me oferecem segurança como o fazem os teus olhos. Eles, os teus olhos, são portais que levam ao mistério do sagrado, pois penetrá-los é reverenciar o dom da vida. És, pois, fonte dos meus delírios...
E tua alma?
As águas do Lago Vostok não são tão límpidas e puras como a beleza que reflete tua alma. Ela esconde tesouros mais caro que o ouro. Tolice pensar que exista sensação mais prazerosa que unir-me à tua alma. Tolice crê que fora de ti possa verter felicidade, pois tu és por inteiro fonte dos meus delírios...
Amando... a forma mais perfeita de existir..."


Diêgo Santana

domingo, 23 de outubro de 2011





Bob Marley sobre como amar uma mulher: “Você pode não ser o primeiro homem dela, o último homem dela ou o único homem dela. Ela amou antes, pode ser que ela ame de novo. Mas se ela te ama agora, o que mais importa? Ela não é perfeita - você também não é, e vocês dois podem nunca ser perfeitos juntos, mas se ela te faz rir, te faz pensar duas vezes, e admite ser humana e cometer erros, segure-se a ela e dê a ela o máximo que você puder. Ela pode não estar pensando em você a cada segundo do dia, mas ela te dará uma parte dela que ela sabe que você pode quebrar - o coração dela. Então não machuque ela, não mude ela, não analise e não espere mais do que ela pode dar. Sorria quando ela te fizer feliz, diga a ela quando ela te deixar com raiva, e sinta a falta dela quando ela não estiver por perto.”

Bob Marley



Do I need to say more something??? 

quinta-feira, 20 de outubro de 2011









A moça está encolhida ali quietinha no momento em que ela batizou de "casulo", se contorcendo com o aperto lá dentro, descabelada, olhos lavados pelo cansaço da alma. Vive entrando e saindo do casulo, ela acredita que cada cura da alma é como se fosse o vôo de cada nova borboleta. Está escuro, as notas suavizadas no piano tocando ao longe parecem amenizar sua luta com a própria dor... Apesar disso, ela sabe que precisa, sabe que sua teimosia e impaciência a leva muitas vezes a se encontrar no seu processo de amadurecimento um tanto doloroso, o crescer é lento e trabalhoso. Uma confusão de sentimentos se faz presente... angústia, medo, amor, desesperança, brigam até fazer sangrar. O amor, que chegou primeiro, luta pra expulsar os outros que quiseram roubar sua essência. A bailarina ora grita pra que essa bagunça cesse, ora observa silenciosamente e, lá dentro, tentando se manter um pouco afastada de toda a desordem, pede a Deus que lhe traga a paz que ela tanto necessita. E assim, mal percebe ela que lentamente saiu do seu lugar deixando se levar pela calma melodia. A magia do momento ameniza as revoltas interiores e os excessos, dando lugar ao amor... "Que só ele permaneça", pensa ela, trazendo na sua essência a alegria, a tranquilidade, a paciência, a fé e a esperança quase perdida... e enfim, ela poderá sair da solidão necessária, abrir suas asas e gozar de sua doce liberdade. E lá está, a natureza transbordando beleza, e pronta para receber sua mais nova integrante.


Tainan

terça-feira, 18 de outubro de 2011



"Eu queria saber o que escrever enquanto você se ocupa com a vida que pede tua presença e nem desconfia das minhas vontades. Eu queria saber o que dizer a você que transbordasse carinho e gratidão; saber dizer alguma coisa e qualquer coisa que pudesse te acolher e te embalar, e que esse querer pudesse olhar nos teus olhos com sorriso de fazer o céu mais azul. Eu queria saber você, saber mais perto, pra poder me fazer todo presença, com tudo o que sou, fazer poesia com a boca, fazer silêncio com os olhos e com as mãos dizer qualquer coisa de cafuné. Saber você sorrindo, tomando café-da-manhã comigo, conversando sobre qualquer coisa que seja bom pra nós. Eu queria ser promessa, ser canção, paixão, mel, biscoito, tinta, papel. Ser todo entregue à tua vida seria o único jeito em que poderia agradecer. Queria ser qualquer palavra que se ache no dicionário de bom e bonito que pudesse combinar com teu nome. Apesar dos pesares e da distância, das saudades, tristezas e do desânimo que às vezes se assomam e nos assombram como se pudessem ser hóspedes da nossa casa, queria dizer que você pode descansar em mim e se acolher; e se derramar; que serei ouvido, olhos, colo, paisagem, cheirinho, massagem e que também quero envolver você em bolinhas azuis de tranquilidade. Eu queria saber confessar minha história, minhas doçuras e amargos, enlaçar você pra mais perto e não te fazer correr nem se assustar com espinhos de flor que só querem perfumar. Porque eu quero te fazer mais leve, mais suave, mais plena; levar teu coração pra passear, segurar tuas mãos, fazer graça e sonhar acordado, fazendo você respirar macio. Eu queria ser mais do que sou, porque contigo ser menos não dá. E você me merece por inteiro. Porque nós merecemos o inteiro. Eu queria poder contar aquilo que sua Alma bem conhece mas que por hoje esqueceu; contar aquilo que não cabe no poema mas que se lê nas conchas do mar, nas cestas de flores, na cadeira de balanço, no perdão e no abraço. Qualquer coisa que te fizesse entender o meu Amor."

Guilherme Antunes


"Eu tenho mil razões para te abandonar, e mesmo assim eu procuro por aquela única razão que me faz lutar por você.”




(Shakespeare)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Ah eu queroo!





"Quero tudo novo de novo.
Quero não sentir medo.
Quero me entregar mais, me jogar mais, amar mais.



Viajar até cansar.
Quero sair pelo mundo.
Quero fins de semana de praia.
Aproveitar os amigos e abraçá-los mais.
 Quero ver mais filmes e comer mais pipoca, ler mais. Sair mais.
Quero um trabalho novo. Quero não me atrasar tanto, nem me preocupar tanto.
Quero morar sozinha, quero ter momentos de paz.
Quero dançar mais. Comer mais brigadeiro de panela, acordar mais cedo e economizar mais.
Sorrir mais, chorar menos e ajudar mais. Pensar mais e pensar menos.
Andar mais de bicicleta. Ir mais vezes ao parque.
 Quero ser feliz, quero sossego, quero outra tatuagem.
Quero me olhar mais. Cortar mais os cabelos.
 Tomar mais sol e mais banho de chuva.
Preciso me concentrar mais, delirar mais.



Não quero esperar mais,
quero fazer mais, suar mais, cantar mais e mais.
Quero conhecer mais pessoas.
 Quero olhar para frente e só o necessário para trás.
Quero olhar nos olhos do que fez sofrer e sorrir e abraçar, sem mágoa.
 Quero pedir menos desculpas, sentir menos culpa.
Quero mais chão, pouco vão e mais bolinhas de sabão.
Quero aceitar menos, indagar mais, ousar mais.
Experimentar mais. Quero menos “mas”.
Quero não sentir tanta saudade. Quero mais e tudo o mais. "



“E o resto que venha se vier, ou tiver que vir, ou não venha".





Fernando Pessoa





“Venha, antes que seja tarde demais.


Corro perigo como toda pessoa que vive.


E... a única coisa que me espera é exatamente o inesperado.”



Clarice Lispector

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

E que a certeza não escorregue...





"Se água nos olhos do palhaço molha
Menina dos olhos abandonada


Boneca de pano, de pena, chora.. quando
Água nos olhos da gente escorre

Corre beirando boca, ribeirão
Dorme junto ao coração
Faz do peito cachoeira

Leva, lavando, me deixando leve
Que a certeza não escorregue
Feito pedra de sabão


Bola, vidro, janela, bronca, tapa
Dias e dias sem televisão
Fecho porta pra não escutar briga
E, também, pra briga não escutar minha canção


Que faço distraindo a vida
Vou traindo minha sina
Distraindo decisão
Falo coisas que as vezes não faço
Sou boneca, sou palhaço, ponto de interrogação


Todo ser seria
Todo rio riria
Toda flor folia
Abajour pra escuridão


Toda brincadeira começa com alegria
Mas o sino do almoço troca o riso por feijão


Quero mais careta no retrato
Quero mais folia no meu quarto"



quarta-feira, 5 de outubro de 2011



"Eu me sinto sozinha no meu processo de criar, de fantasiar em versos sentimentos tão profundos. Essa sensibilidade que me rasga a alma, que me acalma em poesia, em letras que desenham a minha estrada, Que explode o que não quer calar em prantos de um coração que só quer entender o que acontece em volta, do lado, à distância. Esse sentir banhado em luzes de uma história inventada e outra tão real que essa solidão desacompanhada, que bebe em risadas o cotidiano."

Denise Portes

terça-feira, 4 de outubro de 2011




Uma nuvem se formou e gotas começaram a cair. Esta chuva são as lágrimas qua agora escorrem do meu rosto e vão direto regar as flores que brotaram em meu coração na primavera. O aperto grande aqui dentro é a ansiedade e o medo que ocuparam espaço. Acho que talvez seja pra isso que serve a água que cai agora, pra lavar a alma e retirar o que é desnecessário nesse jardim!

(Tainan Silva)


"O que é preciso é desaprender o medo." (Ana Jácomo)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...