sábado, 29 de outubro de 2011

Bela Flor




"Qual gosto está entre teus lábios?
Nem a mais doce das romãs acalmaria meus desejos quando anseio por teus beijos! De carmim é a cor que tinge teus lábios, e da mais pura seda a pele que reveste-os. És, pois, fonte de meus delírios...
Qual o cheiro de tua pele?
As flores de cerejeiras não se assemelham ao perfume que exalas. Que aroma ser este que te circunda? Nem mesmo o cedro com sua força, o sândalo com sua essência mística e a rosa com sua suavidade se comparam ao divino cheiro que tens. És, pois, fonte dos meus delírios...
E os teus olhos?
Ora, que belos olhos tens, e quão expressivos são! Encantas e seduz. Rubis não refletem tanta beleza quando comparo teus olhos, e as turmalinas negras com seu poder de proteção não me oferecem segurança como o fazem os teus olhos. Eles, os teus olhos, são portais que levam ao mistério do sagrado, pois penetrá-los é reverenciar o dom da vida. És, pois, fonte dos meus delírios...
E tua alma?
As águas do Lago Vostok não são tão límpidas e puras como a beleza que reflete tua alma. Ela esconde tesouros mais caro que o ouro. Tolice pensar que exista sensação mais prazerosa que unir-me à tua alma. Tolice crê que fora de ti possa verter felicidade, pois tu és por inteiro fonte dos meus delírios...
Amando... a forma mais perfeita de existir..."


Diêgo Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...